NBW 119 – Amizade entre os três poderes, reforma política e casamento gay na Alemanha 02/07/2017

Amigos do NBW na edição dessa semana falamos muito sobre a amizade entre os integrantes dos três poderes brasileiro, a proposta da reforma política que está tramitando no Congresso e também da liberação do casamento entre pessoas do mesmo sexo na Alemanha.

Ouça, comente e compartilhe!

Siga a gente no twitter.com/podcastnbw e facebook.com/podcastnbw

E o nosso e-mail para contatos é: contato@podcastnbw.com

Faça parte do nosso grupo de discussões políticas no Facebook

Temos também uma playlist no Spotify

BAIXE E OUÇA AQUI

Indicações da semana:

Ulisses Neto

Leite derramado – Chico Buarque

André Pontes

Okja

Barata

In the Thick – Fear itself

Música da semana

U2 – Spanish Eyes

  • silivio

    Porque tenho que pagar verba partidária para partidos ? Tá tudo errado esse país !

    • André Pontes

      200% de acordo!

  • Eu Vou Sobreviver

    Ouvindo vocês, principalmente nos últimos episódios, e pensando na maneira “descontraída e flexível” com que as instituições como leis, democracia etc., são encaradas e funcionam no Brasil, me veio a lembrança do “Culto à Carga” ( Cargo Cult ) https://pt.wikipedia.org/wiki/Culto_%C3%A0_carga, fenômeno interessante estudado pela antropologia.
    O paralelo aqui é que importamos ( imitamos, melhor dizendo ) os aspectos formais e mais superficiais das instituições sociais como democracia, partidos, leis, pacto social, república, coisa pública etc.( principalmente européias ) mas sem a assimilação do seu sentido profundo e organizador da vida em grupo. Como importamos no mundo ocidental práticas culturais originalmente religiosas como meditações, yogas, budismos e zen budismos, sem maior entendimento de sua implicação cultural.
    Voltando ao paralelo político, parece que brincamos de República mas no fundo estamos ainda brigando pelos cocos e bananas com tacapes. Não sei se em algum momento no Brasil conseguimos superar as Capitanias Hereditárias, que funcionavam assim: “escuta, malandro, esse pedaço de terra aqui é seu. você me traz 10 cascalhos por ano e faz o que quiser com isso. não quero nem saber. te vira, negão.” E temos hoje ainda os pequenos territórios que funcionam exatamente assim: é a repartição, o curral eleitoral do vereador, o escritório do deputado, a empresa sem regulação, a escola do diretor, o hospital do diretor, e principalmente os ministérios de tal ou qual partido político; são caixas pretas sem controle ou missão social algum a não ser prover os 10 cascalhos para quem é seu “dono”.
    Tamos é fodido nessa porra. Acho que não tem jeito nem em médio prazo ( algumas décadas, 20 ou 30 anos ).