NBW 063 – 11/08/2015

Dilma e Cunha

A guerra entre os anões da política brasileira continua. A crise política é forte e a econômica não deixa a desejar. Esse é o assunto principal do podcast NBW 063. Falamos também da boca grande do presidenciável republicano americano Donald Trump, que está atirando para todos os lados (e como diz o ditado, pode morrer pela boca). E ainda arrumamos um espaço para as manifestações em Ferguson. Deguste com moderação, porque voltamos só daqui duas semanas.

Ouça, curta, compartilhe, comente.

Siga a gente no twitter.com/podcastnbw e facebook.com/podcastnbw. A discussão por lá é boa, garantimos!

E o nosso e-mail para contatos é: contato@podcastnbw.com

BAIXE E ESCUTE AQUI

 

 

  • Eduardo Valle

    Prezados, cometeram um equívoco quanto à escolha do PGR. Esclarecendo: pela constituição o Presidente escolhe quem quiser dentro da carreira do MPU (que não abarca apenas os procuradores da república, cuja associação-ANPR é que toma a “liberdade” de sugerir uma lista tríplice para o chefe do executivo) e o senado vota. Aprovado toma posse. Não apenas FHC, como também Sarney, Collor e Itamar escolheram quem quiseram dentro do MPF e nomearam. Não tem nada de errado nisso. Apenas do jeito que a mídia fala, passa a errada impressão de que essa lista é obrigatória, o que definitivamente não é o caso. Inclusive, apenas para ilustrar a complexidade da situação, a ANPR representa apenas uma das 4 carreiras do MPU (sendo as outras a do trabalho, militar e do Distrito Federal e territórios), sendo as outras associações de classe solenemente ignoradas e esnobadas pelo MPF.

    • Ulisses Neto

      Oi, Eduardo. Muito obrigado pelo comentário! Na verdade, o que a gente disse foi que o Lula iniciou uma tradição de seguir a indicação dada pelo voto dos procuradores, algo que me parece muito mais republicano que tirar um nome da cartola, ainda que essa seja uma prerrogativa do chefe do executivo. Existem muitas outras prerrogativas de poder autônomo que, fossem colocadas em prática, renderiam acusações de poder ditatorial. Um exemplo simples é a renovação de concessões públicas para radiodifusores…

      • Eduardo Valle

        Só não é muito republicano esquecer as outras 3 carreiras que compõem o MPU. Se o presidente da república levasse em consideração a opinião dos membros do MPT,MPM e MPDFT, o PGR seria outro…era só esse o ponto do comentário, junto com a falta de disclaimer da imprensa em geral(até hoje só vi a Natuza Nery da FSP fazer a observação correta) sobre como funciona o processo de escolha. O MPF é um órgão importante para o país, até concordo que só os procuradores da república votem para indicar o chefe deles ( por motivos muito grandes que tô com preguiça de explicar), mas a escolha tá longe de ser democrática ou republicana…

      • Eduardo Valle

        Pra você ter uma ideia do tamanho do absurdo, é como se 100 eleitores votassem e você só levasse em conta o voto de 47.

  • Homero Luz

    Ola vamos em partes, sim foi o avô do collor que atirou em outro senador.
    Já sobre o senado aprovar ou não o Janot acredito que aprove dada a força que o planalto esta dando ao Renan Calheiros e como senadores em geral não estão la para brincar e todos sabem que politicamente para o PMDB é ruim dar força ao Cunha, para mim o Cunha defender candidatura propria do PMDB e romper com o governo e tudo que vai contra o partido dele, então nada melhor que uma liderança do PMDB apoiar o governoo, queimar o Cunha e nao comecar uma caça as bruxas nas prefeituras.