NBW 046 – 3o. TURNO 05/11/2014

impeachment-20is-20patriotic

Parece que o Brasil está vivendo um tempo novo. Um tempo em que não aceitar o resultado das eleições é considerado algo bacana. Em que tecer comentários preconceituosos em público por causa do voto é algo tolerável. Um tempo em que pedir o impeachment da presidente baseado pura e simplesmente no depoimento de um presidiário parece bastante razoável.

Nós, do podcast NBW, preferimos evocar as sábias palavras de Bono Vox e companhia: it’s just a moment. This time will pass… E que passe logo!

Falamos na edição 046 sobre o período pós-eleitoral e também comentamos as votações para o congresso dos EUA, que agora está sob controle do Gran Old Party.

Enjoy it!

BAIXE E ESCUTE AQUI

 

8 COMENTÁRIOS

  1. Segue o email do Karl!!

    “Caros Senhores da Guerra!

    Devo ter sido, sem dúvida, o único ouvinte do “Nós Brigamos no War” a ter ficado feliz com o mês “sabático” de vocês, pois, com a viagem, fiquei sem ouvir podcasts por duas semanas e agora o NBW é o único no qual não estou atrasado! Valeu!

    Acabei voltando de viagem somente ontem, dia 31 de julho (tive de adiar a volta por causa de problemas “técnicos” no planejamento), mas valeu a pena.

    As dicas do Ulisses foram incríveis, valeu a pena esperar tanto por elas (hehehe).

    Londres foi muito mais do que eu esperava, e a minha expectativa já era grande desde o início.

    Não quero me estender no email e, se acabar ficando grande, por favor sintam-se livres para resumir ou só citar na leitura de emails do podcast, mas sinto que devo ao Ulisses (pelas dicas) e ao André e ao Barata (pela cobrança ao Ulisses) um pequeno relato da viagem.

    Como já relatei ao Ulisses, na última hora consegui descolar um lugar legal perto da Trafalgar Square, o que foi maravilhoso pois fizemos quase tudo a pé, tiramos fotos em frente ao Big Ben, ao Palácio de Buckingham (sem a rainha) e à London Eye, passeamos pelo Covent Garden, pelo Soho e à beira do Thames.

    Visitamos todas as grandes atrações turísticas nos primeiros dias pois eu tinha comprado um tal London Pass (que foi extremamente proveitoso, aconselho a todos que forem!) que dá direito a entrar de graça (e muitas vezes no Fast Track, “furando fila” oficialmente) em mais de 60 atrações e passeios, incluindo os imperdíveis Tower of London, Westminster Abbey, London Tower Bridge, Hampton Court (dica do Ulisses, realmente a visita mais impressionante, fascinante e significativa, especialmente para quem gosta dos Tudors), Windsor Castle (genial também), Wimbledon Tennis Museum and Tour (para quem é fã de tênis como nós), Thames River Cruise, London Bridge Experience (que não foi legal) e Shakespeare’s Globe Theater (muito legal), só para citar alguns que a gente visitou.

    Além disso, seguindo sempre as sábias dicas do Mr. Ulisses, visitamos o Borough Market (além de outras feirinhas de rua), Greenwich Park, Portobello Road em Notting Hill e a National Portrait Gallery.

    À noite tratei de estufar nossa agenda com uma variedade cultural digna de Londres, começando por Monty Python Live (que foi o motivo inicial da viagem e que foi absolutamente fantástico mesmo se eu não tivesse feito mais nada), a peça “1984” (adaptação de Orwell que foi tão brutal, violenta e perturbadora quanto a obra original, recomendo!), um show do Jack Johnson no Eventin Apollo, um concerto da orquestra da BBC em colaboração com os Pet Shop Boys no Royal Albert Hall e um show do Derren Brown, entre outras coisas menores.

    Infelizmente, para meu desgosto pessoal, não conseguimos ir ao Spaniards Inn por conta de uma gripe que nos acometeu justamente nos dias que teríamos livre para isso (fica para a próxima), mas devido ao meu problema “técnico” com o planejamento, emendamos 4 noites em Edimburgo e arredores, para onde fomos de trem, e que tornou a viagem ainda mais memorável.

    Outra coisa que acho interessante citar é que paguei quase todas as minhas despesas em Londres com Bitcoins.

    Explico: por causa das taxas de IOF absurdas no cartão de crédito, e agora também no cartão pré-pago, e por causa das absurdas taxas do câmbio turismo decidi arriscar e viajar para o Reino Unido com uma quantidade mínima de libras para o primeiro dia.

    Minha ideia era usar um site chamado LocalBitcoins.com, que indica pessoas próximas a você que tem interesse em comprar ou vender Bitcoins, entrar em contato com alguma delas em Londres e trocar algumas das minhas “moedas virtuais” acumuladas em moeda local.

    Fiquei um pouco apreensivo no começo pois o primeiro contato que tentei nem respondeu. mas o segundo foi extremamente atencioso, um cara de Hong Kong que vive lá a uns 10 anos e que disse que 90% das compras de Bitcoins que ele faz são para turistas como eu, que querem economizar nas taxas.

    Obviamente ele me pagou um pouco abaixo do mercado no momento da transação (meu preço médio de compra de Bitcoins está bem abaixo do mercado hoje, então eu não me importei nem um pouco) mas fiz o cálculo de como teria sido se tivesse comprado os Bitcoins no Brasil poucos dias antes de viagem e cheguei à conclusão que, mesmo assim, teria sido um bom negócio comparado com as taxas do câmbio turismo.

    Porém a questão vai até um pouco além, já que existem vários estabelecimentos físicos (pubs, restaurantes) e virtuais (agências de turismo online com links para inúmeras companhias aéreas e hotéis) que já aceitam Bitcoins diretamente, o que evitaria inclusive a necessidade da segunda conversão.

    Fica a dica, caso alguém queira aproveitar, mas, que fique bem claro, sempre existe o risco de se encontrar alguém desonesto, já que são transações informais, então cuidado com ofertas muito tentadoras e com encontros marcados em locais duvidosos.

    Bom, resumi ao máximo uma viagem de quase 15 dias mas ficou extenso mesmo assim, me desculpem.

    Parabéns pelo ótimo episódio 043, com a qualidade de sempre, especialmente no conteúdo (no áudio, podiam arrumar mais um microfone, ou pelo menos parar de falar longe dele, hehehe).

    Cheers,

    Karl Milla”

  2. Olás!

    Muito bom o episódio e com muita coisa pra falar. Vamos lá:

    Sobre o lance de votar nulo e não poder opinar:
    1 – Este tipo de opinião resume a participação política ao voto, o que é o pior tipo de pensamento que alguém pode ter sobre a vida pública e política de uma sociedade
    2 – Se você paga impostos (e até o mendigo bêbado na rua paga imposto), você pode reclamar, opinar, pedir pra ser Ministro ou o que quiser

    Sobre o povo pedindo Impeachment e volta da Ditadura:
    – Acho muito estranho o destaque excessivo dado a esta parcela ínfima da população. Realmente eles são muito barulhentos, mas não são uma parte tão expressiva assim da população para ter tamanho destaque. Gostaria muito de saber o porquê de tanta atenção e, principalmente, o motivo deles serem assunto por dias e mais dias na imprensa e redes sociais.
    Uma nota sobre a tal passeata já seria mais do que suficiente.

    Pedido de recontagem de votos:
    – Gostei muito da decisão que determinou do TSE, que determinou que o PSDB poderia fazer a auditoria que quisesse, por conta própria. Principalmente porque os programas desenvolvidos ficam a disposição dos partidos e NENHUM deles se preocupa em fazer uma auditoria ou enviar técnicos capacitados para analisá-los.

    Sobre a eleição nos EUA:
    – não entendo completamente o cenário político de lá, mas me parece que o Obama vai terminar o mandato com imagem de charmoso e com poucas realizações. Triste isso.

    Bem, fico por aqui.

    abraços

  3. Olá, jogadores de War.
    Primeiramente, queria responder a pergunta que o Barata fez do porque não votar no PT. Vou citar 3 pontos interessantes que li na internet.

    – Alternância de poder:
    Uma frase que escutei bastante é que a alternância de poder favorece a democracia. Por favor, não venham com aquele papo de São Paulo quer a alternância, mas votou no Alckmin. Isso é um argumento bem fraco, primeiro porque não foi todo o estado que votou nele e segundo porque o Brasil é maior que São Paulo.

    – Aparelhamento do estado:
    Pelo que escutei, há alguns cargos específicos que são eleitos pelo(a) presidente. Pelo fato do PT estar a 3 mandatos no poder (indo para o quarto) eles poderão indicar mais pessoas para esses cargos. Com o PSDB eleito, esse número diminuiria e ficaria mais equilibrado.

    – Ajudar os Nordestinos:
    Parece estranho isso que eu escrevi agora, mas foi um ótimo argumento que escutei. Explico, há muitas pessoas que votam no PT por achar que ao votar em outro partido, irão perder os assistencialismos (criados ou melhorados pelo governo atual). Se outro partido for eleito, essas pessoas irão perder o medo e assim, poderão perceber que tem uma certa liberdade para escolher outro governante para o país.

    Em segundo lugar, queria que vocês do NBW se pronunciassem sobre duas coisas.
    Primeiro, o Foro de São Paulo. Li um pouco sobre ele nas últimas semanas. Como entendendores de política, queria que vocês comentassem sobre como ele pode ser ruim para a democracia e principalmente, para o Brasil.
    Segundo, sobre esse pronunciamento do presidente da Venezuela: https://www.youtube.com/watch?v=OYSWa1uPPkg

    Terceiro, já que vivemos em uma democracia, eu acho completamente válida uma manifestação contra aqueles que se dizem democráticos, mas são contra a democracia.
    Pessoas que admiro muito postam notícias que cada vez mais, me fazem não gostar do partido que governa o nosso país atualmente. Um exemplo é o Luciano Pires do Café Brasil que é um dos podcasters brasileiros mais conhecidos.

    Ps.: No último mês, descobri dois podcasts que também tem como abordagem principal a política.
    – Mises Brasil: http://www.mises.org.br/FileUp.aspx?id=131
    – Liberzone: http://liberzone.com.br/podcast/
    Por enquanto, o de vocês é o único apartidário que conheço, mas não o único sobre política.

    • @Ruhan,

      Acredito que existe uma espécie de blindagem intelectual (ou de interesses) que não permite que a maioria das pessoas tome conhecimento do Foro de São Paulo e em sua atuação. Assim como Olavo de Carvalho (que denuncia o Foro de São Paulo há mais de 20 anos), somos vistos como loucos conservadores só de citar essa organização bolivariana.

      Enquanto isso, as escolas e universidades brasileiras continuarão pregando o marxismo e o gramscismo como exemplos de sucesso de como uma sociedade deve ser. Isso sim é preocupante.

  4. Olá, caríssimos.

    Muito bom ter o NBW de volta. Tenho ouvido podcasts muito menos do que gostaria e comentado menos ainda, pois ando trabalhando muito. Mas desta vez eu não poderia deixar de comentar.

    Tenho evitado gastar energia discutindo sobre as eleições no Brasil, mas aqui vão algumas considerações pessoais:

    – Este texto da Marina Silva (embora eu não tenha votado nela) reflete bem o que penso sobre as decisões da Dilma reeleita (“Quando a realidade desmonta o marketing” http://marinasilva.org.br/quando-realidade-desmonta-o-marketing)

    – A maioria das medidas econômicas que o governo Dilma precisará tomar agora refletirão diretamente no bolso dos mais pobres. Então quem tanto critica o capitalismo e o lucro deveria antes de tudo pesquisar melhor de onde vem a geração de empregos e os investimentos que o país precisa. Ninguém investe para ter prejuízo, é só ter um mínimo pensamento de empreendedor e se dará conta de que seria tolice abrir um negócio e gerar empregos sem ter lucros.

    – Muitos esquerdistas criticaram os eleitores do Aécio, citaram o socialismo como a salvação pro país, em nenhum momento foram contra o intervencionismo excessivo que veio a deixar o país na situação econômica que está e acham muito natural que a inflação esteja atualmente acima do teto, pois acreditaram no que a presidente afirmou como “sob controle”. Como eu citei acima, as medidas atualmente tomadas pós-eleições vieram para reforçar que continuar com o populismo só afundará o país. Resumindo, tudo o que Dilma criticou das medidas econômicas do Aécio, está tentando tomar agora ainda que de maneira cheia de mistérios e zero de transparência.

    – Não estou aqui para defender candidato A ou B ou eleitor A ou B, mas para afirmar que na minha experiência nessas eleições os dois lados foram vorazes. Não adianta se vitimizar agora. O lance é realmente se unir e deixar os mais pobres cientes de que não existe almoço grátis. A realidade econômica do país é muito mais complexa do que qualquer lado da história (esquerda ou direita) e demandará lucidez de todos nós para lidar com as prováveis dificuldades que o país enfrentará pelos erros cometidos.

    – Por fim, vou me abster de opinar sobre impeachment mas estudei “golpe militar” e “intervenção militar”, que são coisas diferentes. Sendo o último constitucional e portanto legítimo que as parcelas interessadas que estejam se sentindo prejudicadas possam se manifestar, ainda que não traga nenhum resultado prático.

    Abraço!

    Luana

  5. Ah, este pessoal que não sabe perder…

    Pois é, engraçado esta história de pedir impeachment sem provas concretas. É muito complicada esta situação… Por mais que e eu não tenha votado nela, não há dúvidas que a vitória dela foi escolhida pela maioria que votou (tirando aqui os méritos se a campanha foi limpa ou não). Podem falar o que quiserem da democracia, mas ainda é o melhor dos métodos.

    Agora, se não vai surgir mais nada contra ela por conta da Petrobrás, aí são outros quinhentos… Engraçado, depois que a gente assiste House of Cards a gente fica sempre com a imagem de que tem alguém soltando informações para se ter um benefício de algo. Rs…

    Abraços e ótimo episódio como sempre!

    P.S.: Vocês bem que podiam colocar o Disqus no sistema de comentários, ajudaria muito!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

NBW