NBW 055 – Eleições no Reino Unido 09/05/2015

Captura de Tela 2015-05-09 às 10.42.37

O Ulisses, nosso amigo mais britânico desse podcast, acordou assustado na última sexta-feira. Foi dormir pensando que teria uma novela política pelos próximos cinco anos, acordou com a notícia que a novela não passou de um curta metragem. O gigante do jornalismo brasileiro Clovis Rossi tinha essa mesma expectativa, mas, coitado, com a diferença que deixou estampada na sua coluna na Folha de SP. O resultado foi tão surpreendente, que um dia, num cochicho durante o café da manhã com sua família, o agora reeleito primeiro ministro David Cameron, vai confessar que jamais imaginou que isso aconteceria. Se soubesse teria comprado passagens para passar a próxima semana num resort all inclusive em Pernambuco ou na Bahia para descansar do período eleitoral. Não reservou, perdeu viagem.

Aqui no Brasil os institutos de pesquisa mandaram um gigante #chupa – sim, com hashtag, porque em uma pesquisa recente descobriram eles mesmos que é assim que se manda indireta nos dias de hoje – para os institutos de pesquisa do Reino Unido, que erraram muito feio. Para vocês terem ideia do tamanho do erro, no dia da eleição o The Guardian chegou a publicar que os Trabalhistas tinha até virado a eleição, que prometia até então ser a mais acirrada em décadas. Quando foram abertas as urnas, o resultado: o partido Conservador não só ganhou, como conseguiu a maioria para governar.

Nessa edição do NBW falamos sobre tudo o que aconteceu no Reino Unido, fazemos um paralelo entre o marketing político de lá e o daqui no Brasil e também discutimos reforma política (o voto distrital lá não foi um bom exemplo para os que acreditam que ele é a solução para o Brasil).

Enjoy!

BAIXE E ESCUTE AQUI

10 COMENTÁRIOS

  1. Opa, dessa vez cheguei cedo hein!!! Segue:

    Colunistas

    Clovis Rossi – Folha

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/clovisrossi/

    Livro:

    Promise of Blood – Brian Mclellan
    http://www.amazon.com/Promise-Blood-Powder-Mage-Trilogy/dp/0316219045

    Filmes/documentários:

    Chef’s Table
    https://www.youtube.com/watch?v=qKqj85oo2wI
    http://www.indiewire.com/article/review-how-netflixs-chefs-table-reinvents-the-cooking-show-20150427

    (Indico também da mesma galera o excelente Jiro Dreams of Sushi
    https://www.youtube.com/watch?v=8R02NE050Jk)

    A separação
    http://www.nonetflix.com.br/a-separacao/1179

    Fed Up
    Trailler – https://www.youtube.com/watch?v=9Zvn0PiwtOY
    Full Movie (Spanish Subs #sucks) https://www.youtube.com/watch?v=Z3dGesJocZQ

    Stop at Nothing(Full)
    https://www.youtube.com/watch?v=DKscASTSN5U

    Música

    Coming Home – Kaiser Chiefs
    http://surprise.ly/v/?MPipMQvKgKk:0:0:0:100

      • Pessoal eu é que agradeço, o podcast de voces é muito bom e de extrema relevância, parabéns! O que acho matador nele é a comparação direta com a situação internacional, principalmente a européia. As noticias deste lado aí não chegam com facilidade, ao contrário do que acontece com a América do Norte. Mais uma vez obrigado, abraços!

  2. Fantástico esse A separação!
    Fiquei pasmo com a última cena. Me percebi tão absorto e tenso com o enredo, câmera e atuações que só nos créditos me dei conta de que não tinha música até ali.
    Valeu a dica!

    Continuem o excelente trabalho com o podcast!

    • Valeu, João. Cara, tive exatamente a mesma reação quando subiram os créditos. Recentemente fiz um curso de direção de documentários e em uma das aulas o debate era sobre a utilização de trilhas neste gênero. Porque a música manipula sentimentos e tals… Enfim, esse filme foi tão bem dirigido que não precisou recorrer a este recurso que é dos mais básicos para controlar a reação do espectador. Curti demais também e fico feliz que vc tenha gostado. Abração!

  3. Caros Senhores da Guerra!
    Show de programa, acho fascinante essa discussão política internacional, até para colocar um pouco em perspectiva o que vivemos aqui.
    Vou repetir aqui parte do que escrevi no comentário do NBW 054 – Reforma Política. É óbvio que cada sistema eleitoral traz suas vantagens e desvantagens, que ficam muito mais visíveis para quem está dentro. A pergunta é quais são as vantagens que queremos e quais são as desvantagens com as quais aceitamos conviver.

    Abraços.

    • É verdade, Karl. ‘Internacional’ é uma editoria meio ‘mulamba’ no Brasil. Sempre detestei o foco extremo que se dá nos EUA em detrimento do que acontece na Europa e, mais incrível ainda, nos vizinhos sulamericanos. Cara, não se lê nem se escuta nada aprofundado sobre o que acontece na Argentina, com algumas raras excessões. Enfim, pra mim também está claro que não existe sistema eleitoral perfeito. E é bom que a gente tenha isso claro pra não sair apoiando qualquer proposta na reforma política. Abração!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

NBW