NBW079 – BRASIL 18/03/2016

Amigos ouvintes tristemente anunciamos que esta edição do NBW, mais uma vez, é monotemática. Triste não porque só fazemos edições com um único tema só quando o assunto é importante, mas porque o tema dessa semana é a politica nacional. E ela está triste! Triste mesmo! Falamos aqui sobre o caminho da Lava Jato, da Dilma, do Lula e do país.

Ouça, comente, compartilhe!

Siga a gente no twitter.com/podcastnbw e facebook.com/podcastnbw

E o nosso e-mail para contatos é: [email protected]

Ouça também o 5minutosNBW

Música de encerramento

The Cinematic Orchestra ft. Roots Manuva – All Things To All Men

BAIXE E ESCUTE AQUI

Recomendações da semana:

Ulisses Neto

Every Frame a Painting

Lexcast – Foro Privilegiado 

Terra Sonâmbula 

André Pontes

World War Z

The Talking Dead

Barata

Hidden Brain

15 COMENTÁRIOS

  1. Pessoal, se vocês quiserem entender como o Moro conduz a Lava Jato, recomendo a leitura do artigo que eles escreveu para a Revista CEJ: “Considerações sobre a Operação Mani Pulite”. Esse artigo tem 7 páginas, vale a pena a leitura. Caso vocês queiram uma crítica ao artigo do Moro e à Lava Jato, recomendo um artigo do Mino Carta (que os grampos indicam que o autor é pautado pelo Lula): http://www.cartacapital.com.br/revista/892/a-origem-do-complo

    Eu ia postar um textão sobre o PT e a Lava Jato, mas achei ele muito meloso. Eu cresci em comitês do PT e, apesar de ter abandonado o partido há alguns anos, a Lava Jato tem me deixado com sentimento muito forte de traição e decepção.

  2. Amigos do NBW, solidarizo-me com as dores, a tristeza e a inconformidade por vós expressada durante a transmissão. Vocês encheram a caveira durante a gravação, e eu também me entorpeci do lado de cá enquanto ouvia o podcast. Foi massa.
    Já senti a mesma coisa anos atrás quando também exercia o jornalismo. Hoje não sinto mais. Estou calejado de ver como a política brasileira vive de momentos de ultra tensão, quando tudo parece que vai ruir, para depois assentar a poeira e acomodar as forças reinantes até uma nova batalha. Talvez isso aconteça por fisiologismo, senso de auto preservação dos políticos, ou talvez porque o país é robusto o bastante em suas instituições. Concordo também com um artigo do André Forastieri, de ontem, dizendo que, independente do resultados das pelejas de hoje, ainda conviveremos por muitos anos com os mesmos nomes que estão aí: Lula, Dilma, Aécio e talvez até Cunha. A política é, em boa parcela, arte da sobrevivência.

    Tenho nuns pitacos sobre o que foi discutido na edição:
    Sobre os grampos: Nas conversas não tem nada que incrimine definitivamente nenhum dos envolvidos. Até quando fala em usar a nomeação tem muito “se” no teor, não dá para depreender com certeza o que resultou daquela conversa. Quando tem o Wagner, Falcão e correligionários há muita fala onde eles expressam a opinião deles sobre os acontecimentos e o que poderiam/deveriam fazer. Falam o que querem fazer, mas não há como afirmar que o que disseram se concretizou. Tem outros trechos que, na verdade, depõe à favor do Lula, com caras falando que ele tem que voltar pela institucionalidade, para conciliar. A conversa com o Alberto Carlos então, é matadora ao destrinchar as manobras em percurso. Enfim, tem muito papo normal, ainda mais pra um político da importância dele, e uma não preocupação em estar grampeado. Ou, quem desconfia que está sendo grampeado e tem algo a esconder, vai dizer isso aos interlocutores e seguir papeando de boa? Vocês mesmo citaram o lance de não ser um celular criptografado. Pô, quer dizer que Dilma liga do PABX do planalto pra tramar com os aliados?? Não estou atacando a opinião de vocês, somente destacando como o conteúdo das ligações é inofensivo, IMHO.

    Sobre o Moro:
    Putz, tava gostando da atuação dele enquanto tava concentrado na Petrobrás. Ao focar no Lula parece que se perdeu. Divulgar o grampo do Lula foi uma bela jogada, naquele dia, teve um efeito da porra na opinião pública. Mas também escancarou que ele está em guerra. Custava cortar os áudios da Dilma? De que serve expôr a maior autoridade do país? Acho que ele manchou a própria imagem ao se revelar seletivo. É notório que ele usa os vazamentos e a publicidade em cima do caso para cativar o povo, e vejo isso como uma boa estratégia. Porém, esta última cartada levanta suspeitas sobre as intenções do juiz, suas convicções políticas, suas relações e por aí vai.
    Acabou de completar 2 anos de operação e 3 bilhões repatriados. Se ele tem a intenção de desmontar de cabo a rabo o esquema na Petrobrás e empresas ligadas, acho que poderia trampar mais uns anos, juntar mais dezenas de bilhões repatriados e ir construindo um caso sólido contra quem está no topo da pirâmide. Ir atrás do Lula do jeito que estão fazendo é tentar ligar muitos pontos com uma linha muito fina, o mesmo com a Dilma.

    Sobre Impeachment:
    Parece que a corda tá no pescoço da Dilma, com a correria do Cunha e o clamor das ruas. Mas, ainda não aposto no impeachment. Não sei como funciona o trâmite, mas se eles vão julgar baseado nas pedaladas fiscais, acho que não passa. Por mais que a boiada esteja prontinha pra votar, acredito que se houver uma hora que todos tenham que analisar a questão de maneira técnica e legal, a pedalada não será motivo suficiente. E, caso passem na marra, por cima da lei, há como recorrer, acho que no STJ e nas cortes internacionais. Fora isso, acredito que nos próximos dias haverá muita discussão sobre o que vai sobrar em caso de impeachment. Vão avaliar o prejuízo no campo das relações internacionais, investidores e, o caos que pode virar o país. O povo está admirado com os 6 milhões na rua do dia 13, mas não tem ideia do que pode ser a reação da esquerda caso haja impeachment fora da lei. Não será violento, mas será massivo e vão acampar por meses na esplanada.
    Tem o TSE e a impugnação da chapa. Acho que o Gilmar Mendes, mesmo com os dedos coçando pra sentenciar, só vai condenar tudo muito certinho e sem sombra de dúvidas. Ele é tão pilantra que se houver uma rusga de suspeita sobre a sua decisão, o supremo ou quem puder via cortar-lhe as asas.

    É isso, NBWers. Desculpe pelo textão, mas é a empolgação pelo momento fervilhante na política. Adoro acompanhar a briga, e só fico triste ao ver cenas de violência como a do casal que foi atacado durante o protesto coxinha. Ver o fanatismo de certos grupos de direita e seu modo de agir me traz a incômoda a ideia de que, em breve, veremos a organização dos ultra conservadores em torno de nomes como Bolsonaro e MBL… Mas isso é outra treta!
    Grande abraço e Parabéns galera!

  3. Caros Senhores da Guerra.

    Mais um belo cast! Parabéns! Acho que o Ovomaltine com vodca ia combinar bem, mas, como estava cuidando das minhas duas filhas na noite que ouvi, não pude fazer essa “harmonização”.

    A respeito da divulgação das gravações telefônicas do Lula, minha análise é a seguinte: A equipe de investigação da Lava-Jato estava em cima do Lula pois é a figura mais poderosa sem foro privilegiado que foi citada nas delações. Acredito pessoalmente, e tem muita gente na Lava-Jato que pensa assim, que o Lula é o chefe de fato de todo esse esquema (desde Mensalão, passando por Petrolão e chegando até a BNDES e outros que ainda nem apareceram). Pegar o aparente “cabeça” do esquema é de suma importância e deve feito com cuidado, mas também com força e embasamento. Porém o pedido de prisão preventiva expedido pelo MP de SP, extremamente precário, precoce e afobado, além da própria condução coercitiva (que na minha opinião também foi precipitada) alertaram o Lula e o PT para quão próximas as investigações já estavam. E a Lava-Jato não esperava uma reação tão rápida do Planalto para blindar nosso ex-presidente. A partir do momento em que Dilma anunciou o novo Ministro da Casa Civil, Moro tinha duas opções legais: despachar a investigação de forma sigilosa ao Supremo, aceitando o risco da poeira assentar e Lula acabar se estabelecendo no cargo, ou retirar o sigilo das escutas telefônicas e aproveitar a indignação geral para escancarar todas as tramóias de bastidores e não deixar a poeira assentar, dificultando inclusive novas manobras políticas e forçando o Supremo a tomar uma posição talvez antes do esperado. Creio que qualquer pessoa de bem, colocada na situação de Moro e ciente do poder da quadrilha com a qual ele e toda a equipe da Lava-Jato estão lidando, tomaria a mesma decisão (legal sim) para evitar que um investigado do porte do Lula escape por entre os dedos.

    Ao contrário dos Senhores da Guerra, não creio na ligação do Moro com o PSDB e ficaria extremamente decepcionado se as investigações se limitassem ao PT e agregados, mas não há como negar que os agentes principais nos esquemas bilionários que vimos até agora estão ligados a eles. Exigir o mesmo tratamento para PT e PSDB na mídia e na justiça, nesse momento, seria completamente injusto. A vez do Alkmin, do Aécio, do Richa e de tantos outros está chegando, mas vamos começar a limpar a casa pelos montes de bosta maiores (e só são maiores porque tiveram mais tempo e oportunidade, não tenho dúvida disso). Como já compartilhei no Twitter uma frase do @CtrlAltDella “O que acontece quando um governo impossível de defender se choca com uma oposição impossível de apoiar?”. Nosso problema no Brasil é bem maior do que PT, mas este é o mais urgente.

    Também, como escrevi no Twitter, o Brasil não está parado, muito pelo contrário. Eu, vocês, todos os brasileiros estão trabalhando muito para garantir nosso real de cada dia (menos o Ulisses que ganha em Libra, né? heheh) e a sede de aumento de impostos, burocracia, regulamentação está estagnada junto com o governo, o que dá à economia brasileira uma chance muito maior de se recuperar do que se tivéssemos uma Dilma forte, enfiando CPMF, aumento de IR, ICMS, o escambau goela abaixo de nós.

    Abraços!

  4. Excelente o nível da discussão. Concordo com quem falou (acho que foi o Ulisses) que se Lula avalizou a eleição de Dilma em 2010, ele deve ser responsabilizado pelas duas péssimas administrações dela. E não tem cabimento o Lula voltar a ter protagonismo político. Não há porque voltar atrás, o Brasil tem que andar para frente. Abraços!

    • A família toda dele é de lá e passou muitas verões de infância em Desterro, normalmente sem poder de escolha. Por isso o trauma. Mas os Berenhauser ainda têm propriedades na região e já passamos vários festas de Reveillon extremamente agradáveis por lá!

  5. André, sobre participantes terem sido pagos para se manifestarem em 18/03, houve um documento do PT que vazou na Internet sobre isso, bem como houve vídeos que flagraram está prática naquele dia.

    Além disso, houve shows nas manifestações, o que acabou atraindo pessoas não partidárias à ideologia do movimento, mas interessadas em assistir os shows.

    • Fala, Luciano! O que eu quis dizer era que tinha muita gente, o que anulava as chances de serem só militantes pagos. Agora, que tinha militante pago, eu não tenho a menor dúvida. Aliás, isso é praxe em qualquer manifestação com partido envolvido. E saiba que tinha partido envolvido na manifestação do dia 13 tbm. Abração!

  6. hahaha até parece que no PSOL só tem gente inocente e honesta. Piada né? E to vendo que o carinha que mola em Londres não gosta de ninguém do centro e da direita. Gostar da Esquerda do Brasil, morando fora é mole. Só a esquerda é idônea?

    • Cara, eu até iria me dar ao trabalho de responder o teu comentário, mas dai vc veio com esse argumento de que ‘morando fora do Brasil blablabla’ e me bateu uma puta preguiça. Abração e obrigado por ouvir!

      • Imaginei que teria preguiça, mas eu apesar de tudo insisto em ouvir os dois lados da moeda politica. Tenho que ter bons argumentos para manter as minhas opiniões. Quem mora fora (e eu quero ir morar fora) vê uma outra realidade, coisas boas e ruins, mas eu vejo que a grande diferença são as pessoas e a Dilma e muito outros vieram para provar que socialistas e comunistas não são pessoas santas, são pessoas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

NBW